domingo, maio 05, 2013

Variadas categorias de folhas jovens, verdes ainda, precocemente fenecidas

 Descendo a rua Espírito Santo ( era sábado à tarde), eu me sentia frágil e só. A tosse chata, resto da gripe da semana passada, tornava rouco o meu cansaço. Parada no sinal vermelho, eu respirei fundo, como quem desiste.
Os outonos me deixam sensível, eu sei. ( Se fosse verão, eu seria fúria, bola de fogo incendiando  rastros de pólvora em meio ao tráfego. Se fosse verão eu seria forte, se fosse verão, eu seria estrondo).
Eu me sentia frágil e só e o Dave Matthews, cuja voz peculiar estava, naquele segundo,sendo atravessada por melancólica melodia de um saxofone tão Dave Matthews, amolecia os ossos da caixa de ossos que guarda meu coração.
Era sábado à tarde e eu me sentia frágil e só. E meu coração aninhado em morada umedecida por música.
Não obstante o sol de duas horas da tarde, havia alguma coisa quase gelada nas partículas que deviam flutuar lá fora, junto com o vento. E junto com o vento flutuavam  muitas folhas velhas e também variadas categorias de folhas jovens, verdes ainda , precocemente fenecidas.
Eu me sentia frágil e só e tossia o resto da gripe da semana passada.
Eu descia a rua Espírito Santo tão líquida por dentro, e as partículas quase geladas e o sol das duas da tarde...
E as variadas categorias de folhas jovens,  verdes ainda, precocemente fenecidas.
Tudo tão bonito e triste ao mesmo tempo.
E meu coração bradou, sufocado por melodias de sax, exigências absurdas como , por exemplo, viver para sempre.
Eu estava frágil e só e com tosse. Um cansaço rouco retumbava em meu peito.









Um comentário:

Nerito disse...

Estupendamente belo.

Com suas palavras e com suas lágrimas você certamente chegou bem perto da beleza...